SACRÁRIO

Estilo: Arca Românica Espanhola

 

Arca porque nas arcas é que se guardavam preciosidades, tesouros, e não há nada mais precioso que a presença do Santíssimo Sacramento, o próprio Jesus Cristo com Seu Corpo, Seu Sangue, Sua Alma e Sua Divindade. Também a arca recorda a Arca da Aliança, onde estava a presença de Deus junto ao Seu povo no Antigo Testamento, para a qual foi construído o magnífico Templo de Jerusalém, pelo rei Salomão.


O período da arte românica foi dos mais importantes na história da humanidade. Do século XI ao século XIII na Europa Ocidental, que mistura elementos das tradições da Roma Antiga, bizantinas e bárbaras. Dos países onde a influência foi maior está sem dúvida a Espanha, onde se conservam vários tesouros da arquitetura e arte românicas.
   

 

É sumamente recomendável que o lugar onde se conserva a Santíssima

Eucaristia se encontre numa capela que favoreça a adoração e oração

particular dos fiéis. Não sendo isso possível, em vista da estrutura de

cada igreja e de legítimos costumes locais, seja o Santíssimo Sacramento

colocado em um altar ou, fora do altar, em lugar de honra da igreja.

Conforme o Missal Romano, 276

 


  

 

Artista responsável: Diác. Jorge Ricardo Cardoso Leal (Porto Alegre)

Instalado em 24 de dezembro de 1999.

 

Visão geral 

 

  • Cruz gloriosa, estilizada

  • Alfa e ômega, primeira e última letras do alfabeto grego, idioma em que foi escrito o Novo Testamento ( No livro do Apocalipse, é uma das auto-explicações de Jesus Cristo, princípio e fim da história)

  • O anúncio do Arcanjo Gabriel a Maria

  • O Nascimento de Jesus e a adoração dos pastores

  • A adoração dos magos

  • A Sagrada Família em fuga para o Egito

  • Cristo sentado, com uma das mãos abençoando e tendo na outra o livro da vida. É a imagem da Sua divindade, de Seu  poder infinito, de Sua misericórdia e de Sua justiça. E também do dia do juízo final. O livro está aberto porque só Jesus Cristo tem o poder de abrí-lo e lê-lo, assim como de decifrar a história da humanidade. O alfa e ômega: explicação acima.

  • O homem simboliza Mateus, cujo Evangelho começa com a genealogia humana de Jesus

  • O leão simboliza Marcos, cujo evangelho inicia citando a voz que clama no deserto, onde se ouve o rugido do leão.

  • A águia representa João, que se eleva até o mais alto para contemplar a divindade de Jesus. O evangelho de João começa com a reflexão teológica chamada prólogo: “ No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o verbo era Deus, ... e o Verbo se fez carne e habitou entre nós.”

  • O touro simboliza Lucas, cujo evangelho começa com o templo de Jerusalém,  onde o touro faz referência aos sacrifícios do templo.

   

 

As imagens dos quatro seres vivos que cercam o trono de Deus aparecem em vários textos bíblicos (Ez 1, 10; 10, 12; Is, 2 e Ap 4, 6). Significam várias realidade: quatro anjos nos quatro pontos cardeais e o poder de Deus em toda parte; quatro sentinelas que controlam os ventos, o espaço, o movimento no universo; a união entre transcendência, perfeição, o Céu e a terra; que a história, o mundo estão sob a visão e o poder de Deus; as quatro qualidades fundamentais do ser: Leão é a força - potência, o Touro é a fecundidade – vida, o homem é a racionalidade – vontade, a águia é a profundidade – altura – dinamicidade do mundo. Com Santo Irineu (séc. II), estes símbolos dos animais tornaram-se os evangelistas.

51 3248.2027

 

Praça Senador Alberto Pasqualini, 120

Ipanema - Porto Alegre - RS

aparecidapoa@arquipoa.com

mcc.png
lk_3.png
regional_sul_3.png
arquidiocese.png

© 2004 - 2019 por Nelson S Pereira - PASCOM - Aparecida POA